Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages
Compartilhar no facebook
Facebook

CPI da Energisa precisa de recursos continuar e agilizar os trabalhos no MS

A CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Energisa precisa de mais recursos, financeiros inclusive, para continuar as investigações contra o abuso da empresa na cobrança de tarifas de energia elétrica de consumidores em todo Mato Grosso do Sul. O alerta vem do líder do Movimento Energia Cara Não, empresário Venício Leite, que está acompanhando passo a passo dos deputados nesse trabalho.

“Causa indignação a falta de recursos para a CPI trabalhar”, comentou Venício Leite, que informou que parlamentares estariam usando recursos próprios para deslocamentos e investigações sobre as denúncias que não param de chegar sobre os abusos da Energisa nos municípios do Estado.

O Movimento Energia Cara Não faz um apelo tanto ao presidente da Assembleia Legislativa, deputado Paulo Corrêa como para o Governo do Estado, para que providenciem os recursos e meios necessários para que os trabalhos da CPI não só possam ser realizados a contento como também com a devida agilidade que o problema exige.

“Nem seria preciso lembrar que estamos lidando com um problema que atinge contribuintes de todo o Estado. Cidadãos e cidadãs que pagam rigorosamente seus impostos. Então, por conta disso, um trabalho como o dessa CPI da Energisa deveria ser uma prioridade de todos”, explica Venício Leite.

APOIO POPULAR

Venício Leite endossou também o pedido do presidente da CPI da Energisa, deputado Felipe Orro, que conclama a população sul-mato-grossense a participar mais dos trabalhos da comissão e apoiá-la.

“Essa CPI está lutando contra uma empresa muito forte, muito poderosa”, explicou Orro. Por conta disso, segundo ele, é preciso o apoio e participação popular que são uma grande força para a continuidade e avanço dos trabalhos.

Venício Leite disse que as pessoas deveriam se interessar mais pelas sessões e participar, dando ideias, sugestões e levando denúncias que comprovem os abusos cometidos pela Energisa contra os consumidores de energia elétrica do Estado.

“Vale lembrar que essa CPI nasceu das denúncias do povo”, afirmou Venício Leite que fundou o Movimento Energia Cara Não, que por sua vez lutou com todos os meios até que chegasse à Assembleia Legislativa e o deputado Orro abraçasse a causa, juntamente com outras forças como a do deputado Capitão Contar, que resultou na CPI da Energisa.

“Essa luta é de todos nós”, afirmou Venício Leite, ao conclamar a população para acompanhar os trabalhos na Assembleia Legislativa.

 

Copyright 2009/2019 ©Midiaflex Todos os Direitos Reservados

Scroll Up