Grandes vozes no Rio de Janeiro apresenta o concerto do soprano Sondra Radvanovsky

O soprano Sondra Radvanovsky abre a Série “Grandes Vozes” 2020 do Theatro Municipal, acompanhada pela Orquestra Sinfônica do Theatro, sob a regência do maestro Ira Levin

Foto: Andrew Eccles

O Theatro Municipal do Rio de Janeiro apresenta o seu Concerto de Abertura dia 13 de março, às 20h, com o célebre soprano Sondra Radvanovsky, marcando o retorno da Série “Grandes Vozes”, considerada como um dos maiores destaques artísticos de 2019.

Aclamada pela crítica internacional como uma das maiores cantoras líricas da atualidade, Sondra Radvanovsky já havia encantado o público fluminense em 2012 ao se apresentar com
enorme sucesso na ópera Tosca, ocasião em que, atendendo à exigência do público entusiasmado, bisou a famosa ária Vissi d’arte em todas as suas récitas.

Sondra é presença frequente nas principais casas de ópera do mundo, incluindo a Royal Opera House de Londres, o Teatro alla Scala, Opera Nacional de Paris, Opera Nacional de Munique, Opera de Berlim, Barcelona, Madri, Zürich, Japão e, claro, Metropolitan Opera House, em Nova York, onde, com êxito absoluto, deu voz às “Três Rainhas” da chamada Trilogia Tudor, de Donizetti – Anna BolenaMaria StuardaRoberto Devereux.

Parte da temporada 2020 do Theatro Municipal, a Série “Grandes Vozes” presenteia o público com as apresentações de quatro grandes estrelas internacionais da ópera. Além de Sondra Radvanovsky, o jovem soprano Pretty Yende da África do Sul, a renomada Maria Agresta e o célebre mezzo-soprano Anita Rachvelishvili da Geórgia virão à cidade maravilhosa.

O projeto “Grandes Vozes” já impactou e investiu em mais de 1.000 crianças e adolescentes que vivem em comunidades carentes do Rio. Nesta temporada, dará continuidade às ações de caráter sociocultural, com apresentações gratuitas e abertas ao público, em Escolas Municipais cariocas e outros equipamentos que fazem parte da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Estado. Haverá, ainda, a realização de masterclasses gratuitas para jovens cantores líricos brasileiros, por parte de todos os artistas que participarem da Série.

 

PROGRAMA: Arias de Verdi, Puccini, Catalani e Dvořák.

Soprano: Sondra Radvanovsky

 

OSTMRJ

Direção musical e regência: Ira Levin

SERVIÇO:

Série Grandes Vozes no Rio de Janeiro com Sondra Radvanovsky e Orquestra Sinfônica do TMRJ

Local: Theatro Municipal do Rio de Janeiro

Endereço: Praça Floriano, s/nº – Centro

Data: 13 de março de 2020 – sexta

Horário: 20h

Classificação: Livre

Lotação: 2.226 lugares

Duração total: 2h

Ingressos: https://www.ingressorapido.com.br/event/34103-1/d/69710

Frisa/Camarote: R$ 250,00 (unitário)

Plateia /Balcão Nobre: R$ 250,00

Balcão Superior: R$ 250,00

Balcão Superior Lateral: R$ 150,00

Galeria Central: R$ 75,00

Galeria Lateral: R$ 75,00

 

Apoio: Livraria da Travessa, Rádio SulAmérica Paradiso, Rádio Roquette Pinto, Rádio MEC e Ingresso Rápido

 

Realização: Governo do Estado do Rio de Janeiro, Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa, Fundação Teatro Municipal, Associação dos Amigos do Teatro Municipal e Grandes Vozes

 

Instagram: @theatromunipalrj
Facebook: https://www.facebook.com/theatro.municipal.3/

 

Nos 149 anos do Mackenzie, Dourados é agraciada com polo de EaD com cursos de graduação e pós-graduação

A prefeita Délia Razuk foi convidada oficialmente, nesta terça-feira (15), para participar das comemorações dos 149 anos do Instituto Presbiteriano Mackenzie no Brasil.

A instituição atua em Dourados na administração do Hospital Evangélico e Escola de Enfermagem Vital Brasil e, na Escola Presbiteriana Erasmo Braga, atua com seu Sistema de Ensino.

O próximo passo será a implantação de um polo de Educação a Distância (EaD) da Universidade Presbiteriana Mackenzie com cursos de graduação e pós-graduação em Dourados.

O convite para o culto de Ação de Graças, que será na próxima sexta-feira, às 10h, na Igreja Presbiteriana de Dourados, conhecida como Igreja do Relógio, foi entregue pelo superintendente do Hospital Evangélico, Wesley Macedo Ferreira, que estava acompanhado pelo diretor administrativo e financeiro Filipe Cunha. O culto será celebrado pelo reverendo Adonias Márcio Feitosa.

Délia confirmou a presença no culto e destacou a importância do Mackenzie para a população douradense. “O Hospital Evangélico é uma referência da saúde e um patrimônio da nossa cidade”, disse a prefeita, que ouviu do superintendente do Hospital sobre os investimentos que a instituição pretende fazer em Dourados.

Wesley Macedo disse à prefeita que nestes seis meses em que ele está em Dourados, o Hospital Evangélico está passando por uma fase de reestruturação. “Vamos garantir uma sede própria para a Escola Vital Brasil para continuar formando técnicos em Enfermagem e em Radiologia”, explicou o superintendente.

O Mackenzie, segundo Wesley, está desenvolvendo o Planejamento Estratégico em Saúde para os próximos dez anos. À prefeita, o superintendente disse que a instituição, que tem atuação espalhada em vários cantos do País, vê Dourados com muito carinho.

O polo de educação à distância da Universidade Mackenzie, que funcionará nas instalações da Escola Erasmo Braga, oferecerá cursos de graduação e pós-graduação. Este é o primeiro polo a ser instalado em Mato Grosso do Sul, sendo que atualmente a Universidade atua com EaD em 13 estados brasileiros.

Na sexta-feira, além do culto em Dourados, o Mackenzie realizará atividades em comemoração aos 149 anos da entidade em todas as cidades onde atua.

A secretária municipal de Saúde, Berenice de Oliveira Machado Souza, também participou da recepção aos representantes do Mackenzie, no Gabinete da prefeita.

A prefeita Délia Razuk recebe convite para as comemorações dos 149 do Mackenzie das mãos do superintendente do Hospital Evangélico, Wesley Macedo Ferreira e do diretor administrativo e financeiro Filipe Cunha – A.Frota/Assecom

Projeto de Marçal exige notificação de casos de automutilação e suicídio

Para reforçar a Política Nacional de Prevenção da Automutilação e do Suicídio, o deputado estadual Marçal Filho (PSDB) apresentou nesta terça-feira (03) na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, Projeto de Lei sobre a obrigatoriedade dos estabelecimentos de ensino e de saúde notificarem às autoridades públicas competentes sobre a prática de violência autoprovocada, automutilação e tentativa de suicídio. O Estado é o terceiro no ranking nacional em casos de suicídio.

Na quinta e sexta-feira da semana passada, o deputado participou de seminário na Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc), que promoveu um amplo debate sobre o assunto e contou com a presença da Ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves. Nesta terça, Marçal Filho partilhou informações do evento com os demais deputados e apresentou dados alarmantes de que a cada 45 minutos uma pessoa comete suicídio no Brasil e o público que mais tira a própria vida são jovens entre 15 a 29 anos.

Ainda não há estimativas sobre os riscos provocados por essas violências, mas a partir de dados computados, o Governo Federal tem procurado mapear a situação atual do problema e, em conjunto com os Ministérios da Educação e da Saúde, organizar ações e políticas públicas voltadas à prevenção. Nesse sentido, o projeto apresentado por Marçal Filho tem como objetivo obrigar os estabelecimentos de ensino e de saúde, sejam públicos ou privados, no dever de notificar as autoridades públicas competentes os casos suspeitos ou confirmados de violência autoprovocada, o ato de automutilação, com ou sem ideação suicida, e a tentativa de suicídio, a que tomem conhecimento.

Conforme o Projeto de Lei, as notificações devem ser feitas de forma sigilosa e no caso dos estabelecimentos de saúde, como hospitais públicos e privados, a notificação deverá ser realizada às autoridades sanitárias. Já as escolas deverão enviar registros aos conselhos tutelares.

Coordenador da Frente Parlamentar em Defesa da Saúde Mental e Combate à Depressão e ao Suicídio, lançada recentemente na Assembleia, Marçal Filho diz que é necessário cada vez mais ampliar as redes de atendimento de problemas relacionados à saúde mental, que tem crescido a cada ano. “É preciso que se tenha a conscientização de que o atendimento psicológico ou psiquiátrico não é um luxo, muito menos frescura”, diz o deputado.

Marçal Filho também tem defendido a presença de psicólogos e de assistentes sociais nas escolas. Ele já promoveu audiência pública na Assembleia com a presença de profissionais sobre o assunto e diz que continuará com ações que possam sensibilizar o poder público e privado a investir cada vez mais em ações que promovam a saúde mental.

Quanto tempo é normal ficar sem ir ao banheiro? Especialista explica

Você já teve dificuldades para evacuar? Embora seja uma situação muito comum quando estamos fora de casa ou comemos alimentos que tendem a “prender” o intestino, quando isso ocorre com frequência ou por muito tempo é preciso procurar ajuda médica.

Considera-se ideal que o indivíduo evacue em média ao menos duas vezes por semana. No entanto, caso haja menor número de defecações mas sem esforço, sem fezes duras e ressecadas, sem a sensação de evacuação incompleta, sem a necessidade de manobras manuais para a expulsão do bolo fecal e sem haver desconforto abdominal relevante, não se pode considerar o paciente como portador de constipação intestinal crônica.

Por que algumas pessoas sofrem mais para ir ao banheiro?

  • As causas são diversas, sendo as mais comuns de origem idiopática ou funcional, ou seja, sem uma doença orgânica associada:
  • Fase motora do cólon (intestino grosso) apresenta atividade neuronal reduzida, ou seja, menor número de impulsos neuronais incorrendo em menor movimentos peristálticos do cólon
  • Disfunções do assoalho pélvico e do esfíncter anal, incorrendo em esforço excessivo, sensação de evacuação incompleta e ou uso de manobras digitais vaginais ou no períneo para evacuar
  • Dieta com ingestão insuficiente de líquidos (água)
  • Dieta pobre em fibras
  • Abuso de cafeína (chá, café, coca-cola) e álcool
  • Ignorar, não obedecer à vontade de defecar (faz com que o cérebro entenda que não deva enviar o estímulo evacuatório)
  • Sedentarismo
  • Estresse, ansiedade e depressão
  • Viagens e mudanças de rotina
  • Hipotireoidismo, gravidez, diabetes mellitus, acidente vascular encefálico, doenças congênitas, Parkinson, Doença de Chagas, entre outras doenças
  • Medicamentos como antidepressivos, anticolinérgicos, opioides, anti-inflamatórios, psicotrópicos, uso crônico de laxativos

Riscos de ficar muito tempo sem ir ao banheiro

Os principais riscos de não tratar a constipação e ficar muito tempo sem ir ao banheiro são:

  • Desenvolvimento de doença hemorroidária
  • Impactação fecal no reto ou no cólon
  • Incontinência fecal
  • Volvo do cólon (torção)
  • Prolapso retal
  • Doença Diverticular dos Cólons
  • Irritabilidade, distúrbios do sistema nervoso
  • Excesso de gases, distensão abdominal
  • Megacólon.

Como prevenir a constipação?

Para prevenir que a constipação cause problemas futuros no corpo siga essas dicas:

  • Consuma fibras alimentares (20 a 35 g/dia) e aumente a quantidade de líquidos (água) (2 a 3 litros/dia) na dieta
  • Pratique exercícios físicos aeróbicos
  • Respeite o estímulo/vontade de defecar, não tente adiar a evacuação
  • Evite o estresse, a ansiedade e o tabagismo
  • Busque orientações com o médico especialista.
Scroll Up