Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Candidato Joca é contra a privatização dos serviços de saneamento básico no MS

Candidato Joca é contra a privatização dos serviços de saneamento básico no MS 1

A aprovação de um novo marco legal de saneamento básico, em junho deste ano, é um tema polêmico e que divide opiniões. É vendido como solução para os problemas de saneamento no país, mas ao abrir o setor para iniciativa privada, os serviços de saneamento básico podem ficar mais caros e pesar no bolso da população mais carente, além de não assegurar um serviço de qualidade para todos. Os maiores afetados seriam justamente a população mais vulnerável moradora das periferias e os povos indígenas. A votação durante a pandemia pareceu aproveitar-se da situação como cortina de fumaça para evitar a opinião pública.

Em reunião ocorrida na noite desta segunda (19), com o Comitê de Defesa Popular de Dourados e representantes de várias entidades e classes trabalhistas, o candidato à prefeitura de Dourados, Joca, afirmou que mostrar-se contrário ao projeto de PPP (Parceria Público-Privada) da Sanesul, é uma de suas preocupações como candidato. No Mato Grosso do Sul, a terceirização de parte do serviço de saneamento básico por 30 anos, impactaria na vida da maioria da população do estado, já que a SANESUL atua em 68 municípios do Estado atendendo mais de 1,5 milhão de pessoas.

A diretoria do Sindicato dos trabalhadores nas indústrias de purificação e distribuição de água e em serviço de esgotos no estado de Mato Grosso do Sul (SINDAGUA/MS), esteve presente na reunião e reiterou seu posicionamento acerca da Concorrência Pública 001/2020 que trata da Contratação de uma PPP – Parceria Público Privada, segundo consta, com objetivo de se buscar a universalização dos serviços de esgotamento sanitário no estado de MS. Uma das várias preocupações é o atendimento dos municípios do interior que não tem cobertura de saneamento e as várias contradições envolvendo a PPP e a SANESUL.

O leilão da bolsa em que o governo fará a concessão dos serviços de saneamento, envolve todos esses municípios, inclusive Dourados. Sendo a água um bem público e como Dourados possui uma rede que cobre 80% das casas e ainda existem recursos do PAC para cobrir até 92%, Dourados não precisaria dessa PPP. A cidade é um dos principais municípios que seriam afetados pelas mudanças e não houve nenhum tipo de consulta pública sobre a questão, algo que é exigido por lei. Joca foi o único candidato a se pronunciar sobre a PPP e o leilão e reafirma seu posicionamento contrário à privatização da água e do saneamento básico.

Scroll Up