Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Biografia de Tatsuo Suekane é lançada em solenidade na Copasul

A solenidade foi realizada de forma contida devido aos requisitos de biossegurança por conta da pandemia de coronavírus. A importância cultural do livro foi ressaltada

Aconteceu na manhã de terça-feira (27 de outubro), na sala de reuniões da Diretoria da Copasul, o lançamento do livro “Caminho da Vida – Autobiografia de Tatsuo Suekane”, com versão em língua portuguesa e língua japonesa. O livro conta a trajetória de um dos fundadores da Cooperativa Agrícola Sul-mato-grossense e pioneiro da colônia nipônica sul-mato-grossense, Suekane-san, que teve as anotações diárias que fez ao longo da vida transformadas em uma obra literária que vai contribuir para a história nipo-brasileira. A entrega do livro ocorreu no dia em que o senhor Sakae Kamitani faria 90 anos.

O livro surgiu da necessidade de eternizar os relatos e anotações do pioneiro da colônia nipônica no Mato Grosso do Sul e em Naviraí. Tatsuo Suekane, chegou ao Brasil aos 10 anos de idade, no ano de 1934, e mudou-se para a região de Naviraí em 1964. Toda a trajetória desta imigração registrada por Suekane-san foi compilada pela historiadora Norico Tanaka, que decifrou as anotações. A produção do livro foi patrocinada pela Copasul como forma de homenagear um de seus fundadores.

Entre outras várias condecorações honrosas, Tatsuo Suekane recebeu a medalha e diploma “Ordem do Sol Nascente – Raios de Ouro e Prata”, entregue pela nação japonesa em nome do Imperador. Suekane-san recebeu a menção honrosa pelas contribuições ao relacionamento bilateral Brasil-Japão. A condecoração estabelecida em 1875 é uma das mais antigas em atividade no mundo.

“No Brasil existem poucos relatos de imigrantes japoneses sobre a vinda para o Brasil e, com a riqueza de detalhes semelhante ao de Suekane-san, são mais raros ainda. Isto demonstra o quanto o trabalho dele foi importante em vida, e agora, em memória, também importante para contribuir com a história”, disse o presidente da Copasul, Gervasio Kamitani.

O filho de Tatsuo Suekane, Osvaldo Kazuo Suekane, representando toda a família junto da irmã, Izaura, destacou a importância das informações contidas no livro, a maneira como o pai reuniu todas estas informações, e o apoio da Copasul e de Morico Tanaka para que a obra fosse realizada. “Agradeço em nome da família Suekane a total dedicação da senhora Morico Tanaka, que sem medir esforços, cuidou de todos os detalhes para que os cadernos de diário do senhor Tatsuo Suekane se transformassem em um livro publicado. Agradeço a Copasul e sua diretoria, que com apoio e incentivo, com espírito cultural e social, viabilizou e patrocinou a produção deste livro”, disse em discurso.

“Meu pai veio com dez anos de idade para o Brasil, ou seja, ele fez basicamente o primário no Japão. Aqui no Brasil praticamente não estudou. Então ele é autodidata na caligrafia e língua japonesa. E neste livro podemos perceber a qualidade das anotações, que são elogiadas até pelos japoneses nativos, que consideram este material muito qualificado. Ele estudava a noite. Com a lamparina acesa e sozinho. Depois começou anotar todas as informações do dia a dia. Registrando o diário de acontecimentos que hoje pode contribuir com toda a história da colônia japonesa no Brasil. É quase que inédito o conteúdo desta obra, uma vez que tem a cronologia bem estruturada, com imagens e detalhes dos acontecimentos. Eu e meus irmãos víamos ele escrevendo, mas ninguém imaginava como estes documentos seriam tão valiosos e transformados neste valioso documento, que é este livro”, completou Kazuo.

Durante a solenidade, feita de forma contida devido aos requisitos de biossegurança por conta da pandemia de coronavírus, foi destacada a importância cultural do livro. “O vínculo da imagem do povo japonês, as tradições da colônia, e outros ensinamentos desta civilização milenar trazem para qualquer empresa ou projeto uma imagem muito positiva e os próprios japoneses elogiam como os nikkeis brasileiros conseguem manter este legado. Este livro, projeto que teve o apoio da Copasul, representa não só este vínculo, como também a contribuição para a construção de uma ferramenta que conta esta história e raízes. Foi uma honra ter participado deste projeto”, resumiu o diretor-executivo de Operações, Adroaldo Taguti.

O conselheiro da Copasul, cooperado José Carlos Marchetti, falou em nome dos diretores e conselheiros presentes na reunião. “Sem dúvida é importante o resgate desta história e o registro para as futuras gerações. A colônia nipônica tem uma tradição de valores e disciplina que impacta qualquer um que a conhece. É gratificante pra gente participar deste momento”, disse.

O livro na versão em língua japonesa foi encaminhado para consulados japoneses e para o Japão, como forma de contribuir na construção da história da imigração japonesa no Brasil também nos registros japoneses. “Meu pai se doava muito para ajudar as pessoas. Ele ajudou muito a colônia. Ficou mais de 20 anos à frente de uma instituição que prestava assistência para pessoas japonesas com deficiência. Esta obra é muito importante para homenagear este trabalho dele”, disse Izaura Mitie Kamitani, filha de Suekane-san.

Participaram o diretor-secretário da Copasul, Everaldo Jorge dos Reis, os filhos de Suekane-san, Osvaldo Kazuo Suekane e Izaura Mitie Kamitani, o diretor-presidente da Copasul, Gervasio Kamitani, o diretor-executivo Adroaldo Taguti, os conselheiros Edson Shingu, José Carlos Marchetti, Garon Alves de Paula Rubin, Rodrigo Antonini, Sebastiaan Simon Petrus Spekken e Aguinaldo Miguel de Souza Junior.

Todos presentes receberam o exemplar do livro na versão em português e o representante da família recebeu também a versão da obra em língua japonesa.

Scroll Up