Equoterapia será tema de live às 19h30 desta quinta-feira no Instagram

Nesta quinta-feira, 16 de julho a partir das 19h30, horário de Mato Grosso do Sul, acontecerá uma Live no Instagram: @Movemais sobre a importância da equoterapia, como ela funciona, porque é utilizado o cavalo e qual a sua função durante o tratamento.

Também será discutida na live qual a função da equoterapia durante o tratamento, a multisciplinariedade da equipe de atendimento, como é feita a avaliação para a prática deste tipo de terapia e como ela pode ser benéfica no tratamento de diversos transtornos e síndromes como autismo, Dow, Rett e no auxílio e tratamento da depressão e ansiedade.

Especialistas vão tratar também das indicações e contraindicações da equotepia e curiosidade sobre o cavalo. A live contará com a participação de duas profissionais conceituadas. Uma delas é a psicopedagoga, escritora, terapeuta, equoterapeuta e profissional de equitação, Denise Caramori.

Também participam do colóquio a fisioterapeuta Leidiany Spessoto da clinica MoveMais, que é um centro especializado em neurodesenvolvimento que é referência em dourados e região.

“É impossível não se interessar pelo assunto, pois e terapia como a Equoterapia que transforma a vida das pessoas através de um atendimento realizado nas áreas de saúde, educação e equitação utilizando o cavalo com sua força e poder e ao mesmo tempo dócil”, disse Denise Caramori.

 

Estudo mostra capacidade do cooperativismo de crédito de levar serviços financeiros a pequenos municípios

Segmento é um dos mecanismos mais eficazes para alavancar a inclusão financeira no país e levar desenvolvimento econômico às regiões mais remotas

O cooperativismo de crédito, segmento que já conta com mais de 12 milhões de adeptos no Brasil é um dos mecanismos mais eficazes para promover acesso aos serviços financeiros às pessoas em municípios menores, mais distantes e rurais do Brasil. A afirmação é resultado do estudo “Benefícios do Cooperativismo de Crédito: impacto sobre a bancarização”, que cruzou dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Banco Central do Brasil, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) e do próprio Sicredi.

O trabalho foi conduzido pelo especialista em Microeconomia Aplicada e Desenvolvimento Econômico, Juliano Assunção, pesquisador do Departamento de Economia da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). A pesquisa analisou dados de todos os municípios brasileiros, no período de 2007 a 2018, e traçou o perfil de atuação das instituições financeiras nos municípios. A partir da comparação da atuação de bancos e cooperativas de crédito no que tange a distância da capital e urbanização, foi revelado que as cooperativas de crédito têm a capacidade de prover serviços financeiros em regiões mais isoladas e rurais, quando comparadas aos bancos.

Entre as principais conclusões do estudo, está a relação de fatores limitantes para a abertura de uma agência de uma instituição financeira cooperativa em comparação a de um banco. Enquanto os bancos têm, em média, um limite mínimo de 8 mil habitantes para o estabelecimento de uma agência em um município, uma instituição financeira cooperativa como o Sicredi tem capacidade de abertura de agências em municípios a partir de 2,3 mil habitantes.

De acordo com o trabalho, existem hoje cerca de 1,9 mil cidades e nove milhões de pessoas somente no espaço de diferença entre o limite de entrada dos bancos em relação às instituições cooperativas, evidenciando a característica de bancarização das instituições financeiras cooperativas. Além disso, em termos de renda, foi apontado que as cooperativas conseguem operar em municípios com PIB de pelo menos R$ 79 milhões, enquanto para os bancos é necessário um PIB mínimo de R$ 112 milhões.

“Os dados demonstram que as cooperativas podem ser um excelente veículo para levar crédito e outros serviços financeiros para a população de municípios rurais menores, mais afastados das capitais e com menos renda por habitante. Considerando as cidades com o perfil traçado, que ainda não contam com atendimento bancário, o estudo também confirma um mercado bastante promissor para o cooperativismo de crédito no Brasil, com potencial de ainda bancarizar quase dois mil municípios, beneficiando cerca de nove milhões de pessoas”, afirma Assunção.

Para o Sicredi, instituição financeira cooperativa com mais de 4,5 milhões de associados e presença em 22 estados e no Distrito Federal, o estudo torna ainda mais importante o papel do segmento para alavancar o desenvolvimento econômico do país e promover a inclusão financeira. “Atualmente, em mais de 200 municípios somos a única instituição financeira e percebemos, na prática, as oportunidades criadas para essas regiões com a chegada de uma cooperativa de crédito, gerando renda e inclusão financeira para essas comunidades”, explica Manfred Alfonso Dasenbrock, presidente da SicrediPar, da Central Sicredi PR/SP/RJ e conselheiro do Conselho Mundial das Cooperativas de Crédito (WOCCU).

Outro estudo, encomendado pelo Sicredi à Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) e publicado em fevereiro deste ano, avaliou dados econômicos de todas as cidades brasileiras com e sem cooperativas de crédito entre 1994 e 2017 e cruzou informações do IBGE. Concluiu-se que o cooperativismo de crédito incrementa o PIB per capita dos municípios em 5,6%, cria 6,2% mais vagas de trabalho formal e aumenta o número de estabelecimentos comerciais em 15,7%, estimulando, portanto, o empreendedorismo local. O impacto agregado em 1,4 mil municípios que passaram a contar com uma ou mais cooperativas durante o período do estudo foi de mais de R$ 48 bilhões em um ano. As cooperativas também foram responsáveis pela criação de 79 mil novas empresas e pela geração de 278 mil empregos.

“Quando cruzamos os resultados deste estudo e do trabalho desenvolvido pela Fipe, enxergamos em dados estatísticos como se dão os benefícios gerados pelo cooperativismo de crédito, estando presente onde as pessoas precisam e gerando valor por meio da sua atuação. Mesmo com as opções de soluções digitais para a vida financeira, os dados comprovam a importância de presença física como propulsor de desenvolvimento local e é isso que realizamos há mais de um século”, conclui Dasenbrock.

Outros resultados do estudo “Benefícios do Cooperativismo de Crédito: impacto sobre a bancarização”:

  • 50% das agências de bancos privados estão em municípios com população de 21 mil habitantes. Entre as cooperativas, esse indicador cai para 12 mil habitantes e no Sicredi 50% das agências estão em municípios com até 11 mil moradores.
  • Metade dos municípios com agências do Sicredi estão a mais de 285 km de distância das capitais. Já nos bancos, 50% das cidades com agências estão a mais de 230 km das capitais.
  • Quando olhamos para os municípios com baixa urbanização (até 30% de população residindo em área urbana), 17% das agências do Sicredi estão nessas cidades. Nos bancos esse indicador cai para 10%.
  • Em relação aos municípios sem atendimento bancário, de 2012 a 2018, os bancos deixaram de atuar em 301 (3.650 em 2012 para 3.349 em 2018). No mesmo período, o Sicredi passou a estar presente em 383 novos municípios que não contavam com agências (896 em 2012 para 1.279 em 2018).

Sobre o Sicredi

O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4,5 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.900 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br).

 

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

Facebook | Twitter | LinkedIn | YouTube |Instagram

Sobre o autor da pesquisa

Juliano Assunção é pesquisador especializado em Microeconomia Aplicada e Desenvolvimento Econômico, com diversas contribuições em Economia Bancária e Economia do Meio Ambiente. Graduado em Economia pela Universidade Federal de Minas Gerais e doutor em Economia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). Na PUC-Rio, Assunção também é professor Associado do Departamento de Economia e coordenador do Núcleo de Avaliação de Políticas Climáticas. É membro do Consortium Financial System and Povety, da Universidade de Chicago, nos Estados Unidos; e editor associado da Revista Brasileira de Economia e da Environment and Development Economics.

Pesquisa inédita índice vulnerabilidade da comunidade LGBTQIA+ em relação à Covid-19

A pandemia não afeta todo mundo do mesmo jeito. Em maio, especialistas do Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) alertaram para os graves efeitos da pandemia na população LGBTI+, considerando também questões de raça, gênero, classe, situação de moradia, entre outros.

A partir da aplicação de pesquisa online com participação de dez mil pessoas em todos os estados brasileiros, o coletivo #VoteLGBT desenvolveu um índice inédito que consegue medir a vulnerabilidade LGBT à Covid19.

Após análise de dados envolvendo acesso a serviços de saúde, exposição ao coronavírus e informações sobre renda e trabalho, foi possível aos pesquisadores estruturar todas essas camadas de desigualdades e compreender seus desdobramentos em cada um dos representantes da sigla LGBT+.

O resultado demonstra que as transexuais e travestis são as mais vulneráveis aos impactos do isolamento social, seguidas pelas pessoas pretas, pardas e indígenas. O grupo da população bissexual aparece como terceiro mais em risco, e todos esses aparecem na faixa de vulnerabilidade considerada grave.

Um dos resultados alcançados pelo mapeamento foi identificar os contrastes nas diversas fases das vidas LGBT+. “Se na adolescência essas dificuldades de comunicação de identidade são permeadas pela falta de independência financeira, na fase adulta questões de saúde mental são combinadas com ausência de trabalho e renda. Já nas idades mais avançadas, a solidão aparece como um dos maiores desafios”, resume Samuel Silva, demógrafo da UFMG que participou do trabalho.

Outros apontamentos e conclusões alcançados pela pesquisa:

⦁ Pretos, pardos e indígenas possuem 22% mais chance de indicar a falta de dinheiro como a maior dificuldade da quarentena do que Brancos e Asiáticos

⦁ 4 em cada 10 pessoas das pessoas LGBT+ e metade das pessoas trans (53%) não conseguem sobreviver sem renda por mais de 1 mês caso percam sua fonte de renda;

⦁ Quase metade (44,3%) das pessoas tiveram tiveram suas atividades totalmente paralisadas durante o isolamento;

⦁ A taxa de desemprego padronizada entre os LGBT+  foi de 21,6%, quase o dobro do registrado pelo IBGE no restante da população;

⦁ 3 em cada 10 dos desempregados estão sem trabalho há 1 ano ou mais;

⦁ 1 em cada 4 (24%) perderam emprego em razão da Covid19;

⦁ Durante a quarentena, 7 em cada 10 pessoas (68,42%) só saem de casa quando inevitável;

⦁ 8 em cada 10 pessoas perceberam uma alteração de humor durante a quarentena;

⦁ 28% das pessoas já haviam recebido diagnóstico prévio de depressão, número quatro vezes maior do registrado no restante da população, segundo dados da Pesquisa Nacional de Saúde.

⦁ 47% foram classificadas com o risco depressão no nível mais severo.

Apesar dos alertas, no Brasil não foram adotadas políticas e ações concretas por parte do governo considerando a realidade da população LGBTI+. A urgência de um enfoque específico na renda básica, por exemplo, é clara quando se observa que a taxa de desemprego entre pessoas LGBTI+ chegou a 21,6%, contra 12,2% da média nacional, de acordo com a pesquisa.

VAQUINHA EM APOIO ÀS LGBT+

Como ação efetiva pensada para minimizar impactos do isolamento social durante a pandemia, o #VoteLGBT lança uma campanha que visa arrecadar fundos para apoio de entidades que prestam ações de amparo à comunidade LGBT+.

Em parceria com a plataforma Benfeitoria, que está ampliando sua atuação no segmento LGBT, a iniciativa vai apoiar instituições em várias cidades brasileiras, entre elas Casa Satine (Campo Grande, MS), Outra Casa Coletiva (Fortaleza, CE), Casamiga (Manaus, AM), Ultra (Brasília, DF), Liga Brasileira de Lésbicas (Curitiba, PR) e Casa 1 (São Paulo, SP).

A Casa Satine é uma das entidades que será beneficiada com essa ação, as informações completas da campanha estão disponíveis no link https://benfeitoria.com/satine. Para o coordenador geral da Casa, Leonardo Bastos “Os LGBT’s diferente das pessoas héteros não contam em sua grande maioria com uma rede mínima de apoio, sendo necessário nosso auxílio nesse momento para que possamos minimizar os efeitos sociais causados pela pandemia e aprofundados pela discriminação”.

 

UFGD inicia o Ensino em formato remoto no dia três de agosto

 

1

UFGD iniciará aulas em sistema remoto através do Regime Acadêmico Emergencial

 

A UFGD publicou dia 29 de junho, a Portaria nº 367 sobre a retomada em forma de ensino remoto das atividades letivas da graduação e pós-graduação, no dia 3 de agosto.
A decisão foi tomada com embasamento em estudos internos e em recente pesquisa realizada pelas pró-reitorias (disponíveis no final da matéria), cujos resultados foram divulgados em matéria anterior.
A Universidade adotou o ensino em formato remoto, em atendimento às orientações das autoridades de saúde e órgão reguladores sobre manter o distanciamento social. “Remoto”, segundo o dicionário Aurélio, significa longe do espaço; distanciamento.
Ao adotar o formato remoto para o ensino, a UFGD precisava escolher uma das formas que assegurassem distanciamento social. São elas: Educação a distância (EAD), o uso das Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs) e o Regime Acadêmico Emergencial (RAE). Analisando as possibilidades oferecidas por cada uma e suas metodologias, a UFGD escolheu o RAE em virtude de evitar a exclusão digital e conter a evasão.

 

Então… o que é o RAE?

O RAE é uma das formas de ensino em formato remoto, que não depende obrigatoriamente do uso da Internet e suas ferramentas tecnológicas para realizar o desenvolvimento dos componentes curriculares com suas práticas pedagógicas. O regime tem um calendário próprio, 4 módulos de 25 dias, sendo cada dia com 4 horas diárias. Em cada módulo, o discente poderá cursar até 3 componentes curriculares, incluindo Trabalho de Conclusão de Curso e Atividades Complementares.

Esse regime adota uma didática contextualizada com as especificidades pedagógicas do ensino em formato remoto, privilegiando a organização de um plano de trabalho com suas unidades de ensino sequenciadas, em que o docente escolhe estratégias e recursos que assegurem desenvolvimento dos conteúdos curriculares e suas avaliações processuais e finais, sem depender obrigatoriamente da Internet e suas ferramentas tecnológicas.

O regime assegura flexibilidade pedagógica ao trabalho do docente, podendo o mesmo adotar estratégias e recursos diversificados, levando-se em consideração as características e perfis dos discentes matriculados em sua disciplina, desde que não estimulem a exclusão digital e a evasão.
São características do RAE:

  • assegura ensino em formato remoto;
  • não há obrigatoriedade de uso de Internet;
  • não há obrigatoriedade de uso de ferramentas tecnológicas;
  • permite flexibilidade pedagógica ao trabalho do docente;
  • utiliza uma didática contextualizada;
  • não estimula e evita a exclusão digital e evasão.

É importante saber!
O aluno que considerar não ter condições para acompanhar o regime acadêmico emergencial, poderá não se matricular e, se iniciar o módulo e perceber dificuldades, poderá solicitar o cancelamento de matrícula até 15 dias depois do início do período.
Na pós-graduação, o discente matriculado poderá realizar o trancamento de disciplinas que estejam sendo cursadas antes de completar 50% da carga horária total, não havendo nenhum prejuízo para seu processo formativo.

Aos alunos em situação de vulnerabilidade, a PROAE apoiará as demandas específicas.

Quando as aulas retornarão no sistema presencial?

As aulas presenciais só serão retomadas quando a disseminação do Coronavírus estiver controlada. Por enquanto, a Universidade seguirá com ensino em formato remoto, seguindo a Portaria 544 do MEC.

Ainda tenho dúvidas… como faço?

O aluno de graduação que tiver dúvidas e desejar mais esclarecimentos, deverá enviar um e-mail para prograd@ufgd.edu.br ou, se for da pós-graduação, para propp@ufgd.edu.br

Para ter acesso às pesquisas realizadas: 

Pesquisa Docentes

Pesquisa Técnicos

Pesquisa Acadêmicos de Graduação 

Pesquisa Acadêmicos de Graduação (por cursos) 

Pesquisa Acadêmicos de Graduação (por faculdades) 

Pesquisa Acadêmicos de Pós-Graduação 

PDT de Ivinhema apresenta chapa com 23 pré-candidatos e fica à espera de um candidato à prefeito

Com informações do portal de notícias www.aconteceums.com.br

=============================================

O Partido Democrático Trabalhista de Ivinhema-PDT, apresenta à sociedade seus 23 pré-candidatos aptos para concorrerem as eleições municipais que irão acontecer em 15 de novembro desse ano. O próximo passo do PDT será encontrar um candidato à prefeito para apoiar.

O Partido chega para essas eleições no município muito forte, pois o Deputado Federal Dagoberto Nogueira, que é o presidente estadual do PDT, colocou muitos recursos através de emendas parlamentares para asfaltamento e principalmente na área da saúde, totalizando quase 4 milhões.

Gersinho da Saúde e Róbinson Castilho são os representantes do partido na Câmara Municipal, ambos cumprem o primeiro mandato e destacam-se na casa, realizando um trabalho sempre em favor e interesse da população.

Conversamos com o Presidente Municipal do PDT, Michel Ângelo, que disse: “O partido nessas eleições está com um quadro de pré-candidatos muito qualificado, apto a concorrerem para prefeito, vice-prefeito e vereadores. Temos os empresários Amauri da Auto Elétrica e o Sérginho da Farmácia, além do vereador Róbinson, que podem ser nossos candidatos a prefeito ou vice”, finalizou Michel.

UNIGRAN está com inscrições abertas para Vestibular de Inverno 2020 on-line

A UNIGRAN Educacional é uma instituição de ensino que, há mais de 40 anos, oferece ensino de excelência e está com inscrições abertas para o Vestibular de Inverno 2020. A prova desse processo seletivo será uma redação realizada 100% on-line. As vagas são para os cursos presenciais de Dourados e Campo Grande, semipresencial e a distância.

Devido à declaração de emergência em saúde pública pela Organização Mundial de Saúde – OMS –  e o aumento de casos positivos pela Covid-19 no Brasil, desde março, a UNIGRAN tomou medidas preventivas para conter a disseminação do vírus, e a Instituição ativou de forma massiva a utilização de seu convênio com o Google for Education. Pioneira em tecnologia e inovação, a Instituição é parceira desta plataforma que possui dezenas de programas e funcionalidades disponíveis para todos os acadêmicos, incluindo Google Classroom, Drive e e-mail com armazenagem ilimitada.

Cursos oferecidos

Na modalidade presencial, a UNIGRAN oferece os cursos Administração, Agronomia, Arquitetura e Urbanismo, Biomedicina, Ciências Contábeis, Design de Interiores, Direito, Educação Física, Enfermagem, Engenharia Civil, Engenharia de Software, Engenharia Mecânica, Farmácia, Fisioterapia, Gastronomia, Medicina Veterinária, Nutrição, Odontologia, Pedagogia, Psicologia, Publicidade e Propaganda, Radiologia e ainda os cursos tecnológicos em Estética e Cosmética e Produção Agrícola.

Já os semipresenciais em Dourados são Administração, Ciências Contábeis, Gestão Comercial, Gestão de Recursos Humanos e Pedagogia.

E a distância, há a oferta dos cursos de Administração, Agronegócios, Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Biologia, Ciências Contábeis, Economia, Comércio Exterior, Design de Interiores, Engenharia Ambiental e Sanitária, Engenharia de Produção, Engenharia de Software, Filosofia, Formação Pedagógica para portadores de Ensino Superior, Geografia, Gestão Comercial, Gestão de Cooperativas, Gestão de Recursos Humanos, Gestão de Turismo, Gestão Pública, História, Letras (Português/Inglês), Letras (Português/Literatura), Logística, Marketing, Matemática, Negócios Imobiliários, Pedagogia, Processos Gerenciais, Produção Publicitária, Segunda licenciatura em Artes Visuais, Segunda licenciatura em Pedagogia, Serviço Social, Serviços Jurídicos e Teologia.

Para inscrições ou mais informações acesse o link www.unigran.br. Qualquer dúvida é só entrar em contato pelos telefones (67) 3411-3100/3101 ou (67) 9 9222-5948 (WhatsApp).

Por amar o Corpo de Bombeiros, Irwing Ferreira compõe a música “Somos por Você” para homenagear os “homens do fogo”

Nicanor coelho – Editor-chefe

= = = = = = = = = = = = = = = =

O ex-cabo do Exercito Irwing Ferreira, por amar o Corpo de Bombeiros, compôs a menos de um mês a música “Somos por Você”, em ritmo de chamamé foi publicada hoje nas redes sociais em homenagem aos chamados “homens do foto” integrantes do Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso do sul.

Irwing nasceu em Campo Grande em 1983 atualmente é presidente do Conselho Municipal de Segurança da região dos bairros Parati e Piratininga e pertence à primeira turma de voluntários do Corpo de Bombeiros. O autor da canção é música, cantor, compositor e capelão.

“Minha ligação com a segurança é antiga tanto com a Polícia Militar e Corpo de Bombeiros Militar e há menos de trinta dias esta música nasceu no meu pequeno escritório”, disse o compositor explicando que a composição surgiu como forma de valorizar os bombeiros. Irwing desde os 19 anos de idade presta serviços voluntários no Hospital Universitário de Campo Grande com um bombeiro militar chamado capelão major professor Edilson dos Reis.

“Sou da primeira turma de voluntários no Corpo de Bombeiros e lá tenho contato com muitos militares antigos e que estão indo para reserva. Fiquei imaginando estes valorosos que tanto fizeram pela sociedade, agora com seu neto….”, explicou o compositor ao lembrar que o dia Nacional dos Bombeiros Militares é comemorado em dois de julho.

Somos por você

Meu neto sente a meu lado e me sirva um tereré,

Vou te contar uma história de heroísmo e de fé.

Me passa meu violão e escute esse chamamé,

A história de um grande herói que usa farda e boné.

 

Cruzando nossa cidade atendendo mais um chamado,

Levando a vida alheia, com presteza e cuidado.

Quando vejo suas luzes, e escuto o seu sonar,

Sinto grande alegria, segurança e bem estar.

 

Oh, ao brado sempre,

Aos homens…. que arriscam…. a vida pra nos guardar.

Oh, heróis anônimos,

Seja na agua, na altura ou no fogo irão salvar.

 

Meu neto você é pequeno e pode não entender,

mas esses grandes soldados, salvam vidas sem  conhecer.

Arriscam a própria vida, sem nada eles temer,

Lançando a própria sorte, pois este é o seu dever.

 

Dentro de uma viatura, o bombeiro tem prioridade,

Proteger a vida humana, é  sua autoridade.

Deixando sua família sentido saudades no peito,

Oh bombeiro militar, você tem o meu respeito.

 

Oh, ao brado sempre,

Aos homens…. que arriscam…. a vida pra nos guardar.

Oh, heróis anônimos,

Seja na agua, na altura ou no fogo irão salvar.

 

Hoje canto com saudades, minha história neto querido,

Pois esse seu velho avô, já correu esse perigo,

E essas mãos que hoje, seguram seu caminhar,

Já foram muito firmes para vidas à zelar.

 

E deixo à você, meu neto uma lição,

Amar sempre as pessoas , é uma devoção.

Nós somos por você, já diz o nosso cantar,

Primor à vidas alheias, riquezas salvar.

 

Oh, ao brado sempre,

Aos homens…. que arriscam…. a vida pra nos guardar.

Oh, heróis anônimos,

Seja na agua, na altura ou no fogo irão salvar.

Há quase 9 anos, Souza Lubrificação cuida do seu carro em Dourados

Fundada no dia 2 de setembro de 2011, a empresa Souza Lubrificação está localizada na Avenida Weimar Gonçalves Torres, número 3.625, e há quase nove anos cuida dos veículos que atende diariamente.

Há quase 9 anos, Souza Lubrificação cuida do seu carro em Dourados

Há quase 9 anos, Souza Lubrificação cuida do seu carro em Dourados

Há quase 9 anos, Souza Lubrificação cuida do seu carro em Dourados

Com uma equipe altamente competente, passam pelo local, a média de 480 carros por mês, o que tornou-se motivo de orgulho ao proprietário e empresário Edson Souza.

Souza Lubrificação oferece serviços como troca de óleo e filtros, alinhamento e balanceamento, suspensão e freios.

Trabalham ainda com lubrificantes multi marcas bem como a Mobil, Castrol e Selenia.

Ressaltando ainda mais a competência e preparação, a empresa Souza Lubrificação é familiar, já que trabalha além do empresário Edson, a esposa, filho e outros dois funcionários.

Serviço

O horário de funcionamento também acaba sendo atrativo aos motoristas, já que é das 7h às 11h, e das 13h às 17h30, de segunda a sexta, e aos sábados, das 7h às 11h30.

A empresa Souza Lubrificação está localizada na Avenida Weimar Gonçalves Torres, número 3.625.

CAMPO GRANDE: Moradores do Residencial Ronaldo Tenuta e Região sofrem com poeira e ruas intransitáveis

A população do Residencial Ronaldo Tenuta região do grande Caiobá,  EM Campo Grande, onde a expectativa populacional chega à quase 50 mil habitantes tem sofrido bastante com a falta de pavimentação. Em tempos de seca, os moradores alegam que a poeira é intensa e as residências ficam sujas. Na época das chuvas, as ruas do bairro ficam intransitáveis, além do acúmulo de entulhos e sujeiras, o que aumenta o risco da contaminação de doenças.

     

Para que providências sejam tomadas, o presidente da Associação de Moradores do Residencial apresentou uma indicação Via Ofício ao prefeito da Capital Marquinhos Trad (PSD) e ao Secretário Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos (SISEP), solicitando a implantação de asfalto no bairro.

“Diante de tal situação, nós não podemos fechar os olhos para tantos problemas. Todos os dias chegam reclamações à Associação e estamos trabalhando incansavelmente para atenter aos anseios dos moradores. Espero que possamos dar respostas à necessidade para a nossa população,” ressaltou Carlos Alberto defensor da Pavimentação asfáltica.

Amor do douradense por pizza faz pizzaria investir na cidade para sua quarta unidade

Com 38 anos, pizzaria tradicional da Capital chega com diferencial de qualidade

Mesmo diante de todas as dificuldades impostas nos últimos meses por conta da pandemia mundial de COVID-19, empreendedores ainda viram em Dourados uma ótima oportunidade de expandir seus negócios. É o caso da pizzaria San Marino que, com restaurantes em Campo Grande e Bonito, escolheu Dourados para inaugurar sua quarta unidade em maio.

No Brasil, são consumidas cerca de 1 milhão de pizzas por dia, segundo dados da Associação de Pizzarias Unidas de São Paulo, em um mercado que movimenta R$ 22 bilhões por ano. Em Dourados não podia ser diferente, a segunda maior cidade do Estado está entre as que possui mais consumidores da redonda.

Com 38 anos de funcionamento e mais de 40 sabores no cardápio, além dos calzones, a San Marino prepara suas pizzas com ingredientes frescos, de primeira linha e ótima procedência. Entre os destaques no menu estão os sabores de Lombo ao Creme, San Marino de Filé Mignon e Soleada Pantaneira, além das pizzas vegetarianas, uma tendência.

O empreendimento inaugurou com venda no sistema delivery e retirada no balcão, respeitando todas as medidas de proteção. A pizzaria possui sistema próprio de pedidos, atende pelo Whatsapp e por aplicativos de entrega.

Para Irene Souza Pinto, diretora da pizzaria, as expectativas para o novo empreendimento são as melhores “escolhemos Dourados a dedo para abrir mais uma unidade San Marino, é uma cidade em constante desenvolvimento, apaixonada por pizza e com grandes possibilidades de expansão do nosso negócio”.

Para cair de vez no gosto dos douradenses a San Marino está com uma promoção de inauguração, 27% de desconto nos pedidos feitos pelo Whatsapp (67) 4141-4545. A pizzaria fica na Manoel Santiago, 1117, telefone fixo (67) 3038-4545, Instagram e Facebook: @sanmarinopizzas.

Scroll Up