Publicidade
MidiaFlex
Publicidade
Sem Bruno Araújo, Temer deve lotear ministério para atender Centrão
Após o pedido de demissão de Bruno Araújo (PSDB) do Ministério das Cidades Temer deverá usar a cobiçada pasta para atender antigo pleito de partidos que integram o Centrão – PP, PR, PSD, PTB, Pros, PSC, SD, PRB, PEN, PTN, PHS e PSL.

 



 



Reprodução da Internet

  

Agora, o desafio será encontrar um nome de consenso entre as legendas para o comando da pasta, além da distribuição dos principais cargos.



A “reforma” ministerial vem sendo cobrada de Temer desde a votação da primeira denúncia contra o peemedebista por corrupção passiva, quando parlamentares do Centrão passaram a cobrar de Temer a redistribuição dos cargos dos “infiéis tucanos”, que votaram pela admissibilidade do processo contra o presidente.



De acordo com nota do Palácio do Planalto sobre a demissão de Araújo, “o presidente dará início agora a uma reforma ministerial que estará concluída até meados de dezembro”, na expectativa de angariar apoio necessário para aprovar alguma alteração nas regras previdenciárias.



Para que a PEC 287/16 seja aprovada, Temer precisará do apoio de, no mínimo, 308 deputados na votação em Plenário.








 


 Do Portal Vermelho, com agências

Envie seu Comentário

Publicidade
Olho Magico
Com tantos candidatos, há a tendência de os eleitores — porque a mídia eletrônica, rádio e TV, priorizam as candidaturas majoritárias, de presidente, governadores e senadores — desprezarem o pleito proporcional, aquele que elege os deputados, federais e estaduais.
Publicidade
Foto Materia
O Brasil passa por grandes problemas políticos, econômicos e sociais, como nunca se viu em toda sua história.
Publicidade