Publicidade
MidiaFlex
Publicidade
Dagoberto confirma R$1,3 milhão e outros avanços para municípios e produtores rurais
...

O trabalho do deputado Dagoberto Nogueira (PDT) nesta semana em Brasília foi pontuado por importantes vitórias na defesa dos municípios. Emendas parlamentares de Dagoberto confirmaram o envio de R$ 1,4 milhão para quatro municípios do Estado.


Para a infraestrutura de internet de banda larga serão destinados R$ 1,1 milhão para Bonito, Nova Andradina e Nova Alvorada do Sul e outros R$ 197 mil para obras de drenagem e pavimentação em Paranhos.


Além desses recursos, o projeto que prevê a criação de áreas de livre comércio em Ponta Porã e Corumbá foi aprovado na comissão de Finanças e Tributação da Câmara na quarta-feira (29). Ao garantir a isenção dos impostos sobre produtos industrializados e de importação, o PL 533/2015 será um vetor de desenvolvimento atraindo indústrias para a região de fronteira. “A aprovação desse projeto é um importante passo para que o nosso Estado tenha essa ferramente estratégica para esses dois municípios tão importantes”, declarou Dagoberto. Agora a matéria segue para votação na comissão de Constituição e Justiça antes de seguir para o Senado.


Já o projeto de Dagoberto que prevê a anistia de multas e encargos relativos ao Fundo de Assistência ao Trabalhador Rural (Funrural) entre 2010 e 2017 será analisado com mais rapidez. Após a expiração da Medida Provisória que previa a renegociação das dívidas previdenciárias do produtores, o PL 7391/2017 será analisado em conjunto com outra proposta em comissão especial. Até metade do próximo ano o projeto deverá ser aprovado. “Essa renegociação vai beneficiar todos os produtores de Mato Grosso do Sul. Eles não podem ser prejudicados pelas indecisões do STF”, afirmou Dagoberto.

Envie seu Comentário

Publicidade
Olho Magico
Tempos duros, estes. Além do permanente e sistemático ataque aos direitos dos trabalhadores, agora a moda é o ataque ao conhecimento. Depois da arte, dos museus, a ofensiva atual é contra a universidade pública.
Publicidade
Foto Materia
Continuariam com foro especial apenas o presidente e o vice-presidente da República, o chefe do Judiciário, e os presidentes da Câmara e do Senado
Publicidade