Publicidade
MidiaFlex
Publicidade
Paranaíba atrai maior empresa de reciclagem de alumínio do Brasil
...


Inaugurada no mês de setembro, Latasa Reciclagem tem como meta transformar o município em polo do alumínio no Brasil.



Campo Grande (MS) – Apontado pela maior empresa de reciclagem do País como preponderante para viabilizar o projeto de construção de uma unidade em Paranaíba, o suporte do Governo do Estado tem contribuído para a diversificação da matriz econômica do município. 



Na avaliação do prefeito Ronaldo Miziara, a ajuda do Estado tem sido preponderante para reaquecer a economia local. “Reinauguramos o frigorifico, inauguramos a Latasa, abrindo empregos diretos a nossa população e para cada um emprego direto mais quatro indiretos. Temos confiança na sua gestão governador Reinaldo Azambuja, para nos ajudar a aquecer a economia novamente e fazer de Paranaíba uma cidade cada vez mais pujante”, declarou.





Bloco concluído da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul no município.




Sede de empreendimentos do setor calçadista e contando com localização estratégica para escoamento de produtos, a cidade tem hoje 41755 habitantes, segundo dados do IBGE, e vem recebendo da gestão estadual obras de drenagem, pavimentação, recapeamento, saneamento e habitação.



Entre esses investimentos destacam-se a construção de um bloco na Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (Uems) para abrigar duas salas e o setor administrativo; a ampliação da EE Doutor Ermírio Leal Garcia; intervenções na área de saneamento como a ampliação da estação de tratamento e coleta de esgoto para garantir estabilidade hídrica ao município, além da autorização para a obra de construção da ponte sobre o rio Barreiro, conhecida como Ponte do Guilhermão, ligando Mato Grosso do Sul a Goiás



 


Envie seu Comentário

Publicidade
Olho Magico
Tempos duros, estes. Além do permanente e sistemático ataque aos direitos dos trabalhadores, agora a moda é o ataque ao conhecimento. Depois da arte, dos museus, a ofensiva atual é contra a universidade pública.
Publicidade
Foto Materia
Continuariam com foro especial apenas o presidente e o vice-presidente da República, o chefe do Judiciário, e os presidentes da Câmara e do Senado
Publicidade